Terapia Craniossacral

craniosacral-3120327_lHá mais de 30 anos, o Médico Osteopata e pesquisador John Upledger, propós a utilização do sistema craniossacral para melhorar o funcionamento corporal e ajudar a aliviar dores e disfunções.
O sistema craniossacral é constituído pelas membranas e fluido cerebroespinhais que envolvem e protegem o cérebro e a medula. O sistema se estende desde os ossos do crânio, face e boca até o sacro.
Como esse sistema vital influencia o desenvolvimento e o desempenho do cérebro e da medula, um desequilíbrio ou restrição no sistema pode ocasionar vários problemas sensoriais, motores ou neurológicos. Esses problemas podem incluir dor crônica, dificuldades oculares, escoliose, dificuldades de coordenação motora, dificuldades de aprendizado e outros desafios à saúde.
A Terapia Craniossacral é um método suave de avaliação e correção que encoraja seus próprios mecanismos naturais de cura a dissipar esses efeitos negativos do estresse sobre seu sistema nervoso central. Você também se beneficia com uma melhor saúde global e resistência a doenças.
Devido ao seu efeito positivo sobre muitas funções corporais, a Terapia Craniossacral é praticada hoje em dia por uma grande variedade de profissionais de saúde.
Os Fundamentos da Terapia Craniossacral
A história da Terapia Craniossacral nos leva ao início do século, época em que o médico osteopata William Sutherland observou que os ossos do crânio têm uma estrutura que permite movimento. Ele explorou esse conceito por mais de vinte anos e, consequentemente, desenvolveu um sistema de exame e tratamento conhecido como Osteopatia Craniana.
A seguir, em 1970, o Dr. John Upledger observou o movimento rítmico do sistema craniossacral durante uma cirurgia. Porém, nenhum de seus colegas, nem os textos médicos, explicavam sua descoberta.
Dois anos mais tarde, Dr. Upledger foi a um seminário que explicava as idéias de Sutherland, assim como algumas de suas técnicas de avaliação e tratamento. Unindo seu conhecimento médico à sua sensibilidade tátil, o Dr. Upledger compreendeu rapidamente como que um sistema hidráulico, utilizando o fluido cerebroespinhal, poderia funcionar dentro de uma bolsa de membranas encerradas no crânio e no canal da coluna espinhal. Ele incorporou e refinou as técnicas do Dr. Sutherland com sucesso.
O Dr. Upledger em seguida, pôs-se a confirmar a existência do sistema craniossacral cientificamente. Em 1975 foi convidado pela Michigan State University para pesquisar e dar aulas no Departamento de Biomecânica. Ele fez parte de uma equipe de anatomistas, fisiologistas, biofísicos e bioengenheiros para testar e documentar a influência da terapia no sistema craniossacral.
Pela primeira vez foram capazes de explicar, em termos científicos e práticos, a função do sistema craniossacral. Também demonstraram como esse sistema podia ser usado para avaliar e tratar disfunções envolvendo o cérebro e a medula, assim como uma miríade de problemas de saúde que eram anteriormente mal compreendidos.
Nas décadas seguintes a essa pesquisa inicial, o Dr. Upledger escreveu vários livros didáticos que detalham o funcionamento do sistema craniossacral e explicando a Terapia Craniossacral.
Em 1985, o Dr. Upledger estabeleceu The Upledger Institute Inc., uma clínica e centro de recursos fundados para ensinar ao público e a profissionais de saúde sobre os benefícios da Terapia Craniossacral.
Como é feita a Terapia Craniossacral?
O praticante de Terapia Craniossacral usa um toque leve – geralmente menor que o peso de uma moeda – para encontrar restrições e desequilíbrios no sistema craniossacral. Isso é feito através do monitoramento do ritmo do fluido cerebroespinhal em seu fluxo pelo sistema. Estes movimentos podem ser detectados em qualquer parte do corpo, mas com mais facilidade no crânio, sacro e cóccix. Quando o problema é detectado, o terapeuta usa técnicas manuais delicadas para liberar estas áreas e dissipar a pressão desnecessária que estas restrições podem causar ao cérebro e à medula.
Os efeitos positivos da Terapia Craniossacral contam em grande parte com a atividade de autocorreção natural do corpo do cliente. A abordagem com toque leve pelo terapeuta simplesmente induz as forças hidráulicas inerentes no sistema craniossacral a melhorar o ambiente interno do corpo do cliente e a fortalecer sua própria habilidade de autocorreção. A Terapia Craniossacral pode ser utilizada juntamente com qualquer outro método terapêutico.
Quando é indicada a Terapia Craniossacral?
A Terapia Craniossacral fortalece a habilidade do corpo a fazer o que ele faz de melhor: cuidar de você. Dessa forma ajuda a aliviar várias doenças, dores e disfunções, incluindo:
  • Autismo
  • Escoliose
  • Fibromialgia
  • Dores de Cabeça e Enxaquecas
  • Dificuldades de Aprendizagem
  • Déficit de Atenção/Hiperatividade
  • Disfunções em Recém-nascidos e Crianças
  • Problemas Relacionados ao Estresse e Tensão
  • Dores Crônicas na Nuca e na Lombar
  • Dificuldades de Coordenação Motora
  • Lesões por Traumatismos Cranianos e Medulares
  • Fadiga Crônica, entre outras.

Deixe uma resposta